“Como é que eu coloco essa coleira?”, “Será que isso aqui tá certo?!”, “Hmmm, não tô sentindo confiança para passear com esse hóspede, o que fazer?”. Nós sabemos que você já deve ter feito uma dessas perguntas, e estamos aqui para ajudar.

A coleira e a guia são itens primordiais para o sucesso da hospedagem, e é de responsabilidade do tutor escolher o mais indicado para o próprio cão. No entanto, informação nunca é demais e não queremos passar vergonha durante a hospedagem, né?

Por isso, reunimos aqui todas as informações necessárias e fizemos um dossiê completo sobre tipos de coleiras e para quais cães elas são indicadas. Confira abaixo.

 

A melhor coleira é a mais segura!

A coleira e a guia devem estar bem costuradas e em boas condições de uso. Algumas coleiras possuem costura dupla, e são mais reforçadas dando maior segurança durante o passeio. Sempre cheque como a costura está, se a guia não está mordida e também os fechos, seja ele o gancho da guia ou o próprio clipe da coleira no cachorro (fecho), pois dificilmente uma guia irá arrebentar no seu comprimento, geralmente isso ocorre por conta do desgaste do tempo, mordida do cão ou costura que já está gasta.

Focinheira

Desde 2003 a focinheira é obrigatória para algumas raças no Estado de São Paulo. Rottweilers, Pitbulls e outros animais de grande porte devem andar com focinheiras em locais públicos, desse modo, verifique com o tutor a necessidade do material caso vá hospedar tais raças. Para os demais Estados, sugerimos que verifique a legislação local e o que ela diz sobre o uso..

A focinheira é indicada para cachorros agitados, que latem bastante ou apresentam comportamento agressivo, por isso, caso o hóspede se enquadre nesse perfil, exija o uso para o cliente, tá? Precaução e medidas de segurança nunca são demais!

E cuidado no momento de colocar a coleira no cachorro, principalmente com hóspedes que mordem.

Coleira de pescoço

Ideal para cães filhotes e cachorros que não possuem problemas respiratórios ou comportamentais e também para cachorros de porte grande, mas que possuem um comportamento mais calmo diantes as diversas situações, como o Golden, por exemplo. Caso você esteja hospedando um cachorro de cabeça pequena, como um Whipet, tome cuidado extra para que ele não consiga remover a coleira por conta do pescoço fino.

Atenção na colocação para não apertar demais e sufocar o cachorro. Deixe uma largura de uns 2 dedos do pescoço do pet, para ele não sufocar, porém, não largo o suficiente para sair pela cabeça do próprio animal e ele fugir.

Peitoral

Essa coleira é indicada para cachorros mais fracos, pequenos e que não puxem. É uma ótima opção para cães braquicefálicos (cachorros que possuem o fucinho curto) e idosos também!

O lado negativo do seu uso, é que a peitoral estimula o cachorro a puxar, por isso, o uso é indicado apenas para cachorros que não tenham força suficiente para te levar para passear (ao invés do contrário), ou que tenham um comportamento agressivo ou medroso.

Só saia com o cachorro se você sentir segurança e tiver força para contê-lo, caso haja uma emergência.

Peitoral frontal (anti puxão) ou Easy walk

Essa coleira é ideal para cachorros que puxam porque ao utilizá-la, a tira que fica na parte frontal do cachorro faz com que ele vire na sua direção sempre que ele tentar puxar.

É importante checar a maneira correta de vestir o pet, porque muitas pessoas confundem sua colocação e fazem errado: o engate é frontal, ou seja, a guia ficará presa no peito do cachorro.

Coleira Headcollar (cabresto)

Essa coleira é indicada para cachorros agitados, ou que apresentam comportamento agressivo. Sabe aquele cachorro que come tudo que vê pela frente? Com essa coleira esse problema é facilmente resolvido, pois ela envolve o focinho e a cabeça do cachorro (por isso o nome cabresto).

Cachorros da raça Dogue Alemão, Boxer, Pastor Alemão, e até mesmos os de pequeno porte, como Pinscher e Schnauzer, podem fazer uso da coleira, porque os inibe de puxar e atacar outras pessoas e animais (o famoso “dar o bote”).

No entanto, a coleira não é indicada para cachorros braquicefálicos, porque uma vez que a coleira fica presa no focinho, cachorros que possuem o fuço curto podem facilmente se desvencilhar. Caso o cliente tenha um cachorro que da raça shih tzu, pug, bulldog ou outros com o rosto mais achatado, e use essa coleira, ofereça que vocês utilizem algum outro tipo.

Enforcador

Sabemos que o nome não é muito agradável, mas ela traz maior segurança durante o passeio. Essa coleira é indicada para cachorros de porte médio a gigante, e que podem apresentar problemas comportamentais, porque são mais seguras com relação ao controle do animal. Para utilizar essa coleira não exagere na pressão exercida sobre ela para não causar sério dano ao hóspede.

Durante o pré-encontro, caso o cliente surja com o hóspede utilizando essa coleira, converse com o tutor para entender melhor a necessidade do uso, peça orientações das melhores práticas de como passear com o cachorro.

Nunca deixe o pet com o enforcador sem supervisão. A coleira deve ser utilizada apenas durante o passeio, assim que você e o hóspede chegarem em casa, retire-a.  O enforcador, caso permaneça no cachorro, pode prender em algum lugar e o cachorro sufocar. Cuidado! Só utilize o enforcador da maneira para qual ele foi planejado, transformar o enforcador em uma coleira fixa, através dos engates pode machucar o pescoço do cão se estiver muito apertada ou causar uma fuga caso esteja muito frouxa. foi

Guias

Enquanto a coleira é o que fica no cachorro, a guia é o que une o cachorro a quem o está conduzindo. Com ela, terão controle do animal para que ele não escape, e darão a liberdade necessária para que ele explore o ambiente.

O uso da guia é imprescindível e obrigatório se tratando de um hóspede.  Abaixo vamos falar dos 3 tipos de guias mais comuns:

Tradicionais

As guias mais curtas, são geralmente indicadas para cachorros de grande porte – quanto maior o cachorro, mais próximo de você ele deve andar.

As guias mais longas (que podem checar a 7m de comprimento), são indicadas para cachorros que acompanham os tutores na prática de esportes e são extremamente disciplinados durante o passeio. Não indicamos essa guia para ser utilizada durante a hospedagem, uma vez que o cachorro pode apresentar um comportamento diferente na presença do Anfitrião.

Guia retrátil

Caso você receba o hóspede e o cliente faça uso dessa guia, cuidado na hora de realizar os passeios com o cachorro. Com essa guia, ao deixá-la muito frouxa, há o risco de ele ir para a rua e sofrer um acidente, ou mesmo atacar outras pessoas e animais antes mesmo de você se dar conta do que está acontecendo.

Não aconselhamos o uso dessa guia pelos Anfitriões que não conhecem muito bem o hóspede. Pode ser perigoso para o cachorro, para você, e também para outras pessoas e animais que estejam no trajeto de vocês durante o passeio. Se você não sentir segurança no hóspede, não permita que o cachorro estenda muito essa guia, use-a curta ou converse com o cliente e sugira a troca da guia por alguma que você estiver em casa, isso se o seu material for adequado para o comportamento e tamanho do cachorro.

Guias unificadas

Essa guia vem junto com o enforcador (são os dois em 1 material só), ela é geralmente utilizada para treinar ou corrigir o comportamento do cachorro durante o passeio. Assim como na coleira, o uso dessa guia deve ser com muita cautela para não sufocar o cachorro durante o passeio. Converse com o tutor, peça dicas de como passear com o hóspede, e até treine com o cachorro na presença do cliente, se houver a necessidade.

O uso indevido do material pode ser prejudicial à saúde do cachorro se não for utilizado da maneira correta.

Guia elástica

Um material pouco utilizado para a confecção de guias, é uma espécie de borracha que dá um efeito elástico para a guia. Pode ser utilizada apenas para aqueles cães que não costumam puxar e nunca deve ser usada com enforcador. É necessário cautela durante o uso, pois em algum momento o cão pode querer disparar e o limite do elástico pode causar um puxão que tem potencial para lançar o cão para trás e causar sérios machucados.  

Segurança durante o passeio com o hóspede

Antes de receber o cachorro,é importante que verifique o porte dele, o temperamento e sua rotina para garantir que poderá oferecer o serviço conforme o cliente necessita. No pré-encontro, orientamos que verifique a forma com que o cachorro se comporta com você, e na presença de outras pessoas – isso pode ser checado durante um simples passeio na região, na presença do cliente. Reforce com o cliente a necessidade de receber todos os itens e materiais que vá precisar durante a hospedagem, isso inclui a coleira, guia, bebedouro, comedouro, tag de identificação etc.

As ferramentas de passeio devem estar em ordem: cheque as costuras, as fivelas, clipes e o estado de todo o comprimento da guia. Caso haja algum desgaste, informe o cliente e combine com ele a possibilidade de adquirir um novo material e ser reembolsado por isso. Lembre-se que mesmo coleiras e guias em perfeito estado podem se romper,  se as fivelas (partes metálicas ou plásticas) baterem,sofrerem quedas ou forem arrastadas no chão, podem estragar durante o passeio ou hospedagem e se romper totalmente durante o passeio. Uma dica valiosa é ter sempre uma guia extra durante o passeio para o caso de haver algum imprevisto. Se houver algum escape ou a coleira se rompa essa guia extra pode ser utilizada até mesmo como um enforcador provisório até chegar de volta em casa.

A segurança é importantíssima no momento de sair com o hóspede, só saia se você se sentir confortável com isso, e que tenha certeza que poderá conter o cachorro caso haja uma emergência. E não esqueça de colocar a tag de identificação sempre que for sair com o hóspede na rua! Caso o cliente não deixe uma tag, você pode preparar uma em casa

Além disso, aproveite o momento para brincar com o doguinho, e cansá-lo bastante, porque esse é o momento mais esperado do dia deles, e você estará contribuindo para a saúde física e emocional do cachorro. <3

Você também pode registrar o momento e enviar a foto para o cliente e para nós, que tal? Essa foto pode sair na nossa página do Instagram. Nós temos uma publicação que dá 7 dicas para tirar fotos lindas dos hóspedes.

Total
5
Shares

6 comments

  1. Super interessante a matéria das coleiras e guias. Muitos tutores trazer o equipamento errado para o seu tipo de Dog e com essa matéria ,da para dar dicas corretas do melhor material a ser utilizado para os tutores. Adorei ?????

  2. Matéria muito relevante, com certeza irei alertar meus clientes fihttps://www.doghero.com.br/heroi/109748-caotinho-da-miheis, que por falta de informação acabam não usando a coleira adequada no pet, aumentando o risco do cachorro se machucar, ou fugir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*