As festas de fim de ano estão chegando, trazendo com elas as queimas de fogos de artifício. Nessa época, queremos comemorar e nos divertir, mas quem sofre são os nossos bichinhos.

Muitos cachorrinhos têm medo de fogos e isso pode levá-los à babar, tremer ou até a outras consequências mais graves. Temos certeza que você conhece pelo menos um cachorrinho que já passou por isso, mas você sabe como evitar que ele tenha esse medo e a maneira correta de ajudá-lo? 

Como identificar o medo? 

Mesmo antes da virada do ano, quando os fogos são mais intensos, já notamos os fogos em algumas comemorações. Nesse momento, o primeiro sintoma é o cãozinho adotar uma postura mais alerta. Ele evitará fazer coisas que o deixem “vulnerável” como comer, beber água, dormir, ou mesmo fazer suas necessidades com tanta frequência quanto costuma fazer. Cães mais ansiosos podem ficar pedindo colo, pulando e chorando.

No caso dos hóspedes, perguntar sobre o medo de fogos é essencial. O tutor do pet convive com ele e saberá dizer para você quais medos ele tem (além dos fogos), como ele costuma reagir nessas situações e passar instruções de como você deve agir para acamá-lo e mantê-lo em segurança.

A postura corporal abaixo (curvado, com as orelhas abaixadas, pupilas dilatadas, rabo abaixado ou entre as patas traseiras) é sintomática de quando um cão está assustado, com medo ou estressado. Ele também pode ficar “lambendo o focinho” e mostrando os dentes. Para saber mais sobre a postura corporal dos cães, faça o treinamento Telepatia Canina da Escola de Heróis DogHero.

Lembrando que os sintomas mais extremos são salivação excessiva, taquicardia (batimento cardíaco acelerado), respiração ofegante, e ele tentar fugir. Alguns cães podem também ficar agressivos. Portanto, medidas preventivas podem evitar que o cachorro chegue nesse estágio: fechar as portas e janelas de vidro perto da hora da virada, colocar uma música ou ligar a televisão em alto volume.

Como ajudar o cãozinho?

Tente manter os cachorros em apenas um cômodo – a sala ou o quarto, por exemplo – nunca do lado de fora. Assim você consegue ficar de olho neles e oferecer um ambiente fechado e seguro. Lembre-se de remover todos os objetos que eles possam derrubar, quebrar, ou que possam oferecer algum risco para eles. Cães medrosos podem se esconder e fazer de tudo para tentar escapar. Por isso, este espaço deve estar 100% preparado e livre possíveis acidentes ou rotas de fuga. Se o cãozinho se esconder embaixo da mesa, da cama, cadeiras ou em qualquer outro lugar, não tente tirá-lo de lá. Escondidos eles se sentem mais seguros e tentar tirá-los pode, inclusive, acabar em mordida, ou em fuga.

Se mesmo com o volume alto da TV ou do rádio você perceber que o cãozinho ainda está ouvindo o barulho dos fogos, uma ação a ser tomada é fazer festinha, como se fosse uma comemoração. Oferecer petiscos ou brinquedos que ele adora na hora, com animação e sorrindo, é um ótimo jeito de fazê-los perceber que está seguro. Cães entendem muito bem nossas expressões faciais e é muito importante que você não se mostre preocupado com o medo dele.

Abaixar para fazer carinho ou falar com a famosa “voz de bebê” não é uma boa opção, pois o cão pode entender que, assim como ele, você também está assustado e com medo. Mesmo que o cãozinho pule e peça colo, não o pegue, pois isso pode ser entendido por ele como sinal de insegurança. O nervosismo dele irá se manter ou até mesmo piorar. Ficar em posição curvada também é interpretado como sinal de insegurança.

Lembre-se de agir com naturalidade. Você deve mostrar para ele que está no controle da situação e assegurar que ele está protegido. Você também pode seguir essas dicas com um filhote ou com um cão que ainda não conhece o barulho dos fogos, assim ele já o associa com diversão, bagunça e coisas que ele adora, o que o ajudará a não desenvolver o medo.

Técnica da faixa

Você já deve ter ouvido falar da técnica da faixa, ou do pano, que também é conhecida como Tellington Touch. Essa técnica consiste em passar uma faixa, ataduras ou um pano no cãozinho. Colocada na posição certa, a faixa estimula alguns pontos do corpo do cachorro, fazendo com que ele se sinta mais confortável e menos inseguro. Veja o passo a passo:

Se você pretender usar essa técnica, preste atenção nessas recomendações:

1) Não aperte demais

A faixa não pode ficar frouxa, mas também não pode estar apertada demais. Se isso ocorrer, existe o risco de prender a circulação sanguínea do cachorro. Assegure-se que ela está firme ao corpo, mas sem apertá-lo.

2) Teste antes

Um ou dois dias antes da virada do ano, coloque a faixa no cãozinho e veja como ele irá reagir. Se ele demonstrar desconforto, ficar tentando tirá-la, para de comer e se locomover com dificuldade, retire-a e não a coloque para a queima de fogos. O cãozinho desconfortável pode ficar mais estressado ainda.

3) Coloque a faixa 30 minutos antes da queima de fogos

Não deixe para colocar a faixa só quando a queima de fogos começar. Depois que os fogos começarem, será muito mais difícil você conseguir colocar a faixa. Ele estará agitado, com medo e pode se esconder. Coloque ela no cachorro mais ou menos 30 minutos antes. Dessa forma, você evita que o cãozinho associe a experiência de usar a faixa com o que causa o medo (o barulho dos fogos), diminuindo a possibilidade dele encarar tudo isso como uma punição e de ter uma experiência ainda pior.

Lembre-se: medo e estresse podem gerar trauma!

A presença de um trauma, a longo prazo, pode fazer mal para o cãozinho. Por isso é importante que ao ser identificado se inicie um trabalho com o cão, uma vez que o processo de superação de um trauma é quase sempre demorada e envolve muitas recaídas, tentativas, erros e acertos. Por vezes é necessário o acompanhamento de um adestrador profissional, que pode identificar métodos mais eficientes para cada cãozinho e lidar da melhor forma com esse medo. Enquanto o cãozinho não está 100% livre desse medo, deve-se evitar que ele passe por uma situação crítica como o show de fogos do Ano-Novo sem nenhum tipo de cuidado e amparo.

Total
25
Shares

8 comments

  1. muito importante as inflamações…..conheço animais q já morreram…….irei fazer caso algum q olho sinta esse medo…..obrigada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*