Cães que machucam as patas são um dos casos mais comuns de acionamento de Garantia Veterinária. Por isso, atenção às nossas dicas!

Quando o cliente hospeda seu cachorro com você, ele espera encontrá-lo igual (ou melhor!) ao que deixou. Por isso, zelar pela saúde e segurança do hóspede são algumas das principais responsabilidades que você tem como Anfitrião.

Para diminuir o risco de seu hóspede se machucar, reunimos algumas orientações valiosas para que você realize uma hospedagem segura e livre de contratempos.

Móveis e escadas

Alguns cachorros simplesmente adoram subir em sofás e camas para passar um tempinho com você. Mas sabia que o ato de subir e descer desses móveis pode oferecer alguns riscos?

Cachorros de pequeno porte, como Lulu da Pomerânia e Yorkshire e Pinscher podem facilmente lesionar as patinhas se o móvel for muito alto. Quanto menor o pet, mais cuidado você deve ter ao deixá-lo ter acesso a quartos e salas. Por isso…

Ajude-o a subir e descer sempre! Você também pode providenciar uma escadinha para deixar ao lado da cama/sofá, que tal? <3
Deixar o pet longe de bancadas de cozinha e mesas com comida ajuda a evitar a tentação do cãozinho subir pra beliscar algo e acabar caindo.

Caso você tenha escadas em casa, cuidado ao hospedar cães idosos ou cães com predisposição à doenças crônicas, como Pastores Alemães e Dachshunds, pois com o esforço para subir e descer os degraus, lesões na coluna ou nos quadris podem aparecer ou piorar. Por isso, a dica aqui é a mesma: esteja sempre por perto e ajude-o se possível. Para o caso do cachorro ser de grande porte, o ideal é que você restrinja seu acesso às escadas, uma vez que não conseguirá ajudá-lo nessa locomoção.

Outro ponto que vale ser mencionado aqui é se o pet está com as unhas muito grandes. A unha, quando muito comprida, pode quebrar no momento de subida ou descida dos móveis/escadas. Porém, a atenção com a unha deve ocorrer até mesmo numa simples brincadeira com outro cachorro.

Caso a unha quebre durante a hospedagem,sangramentos leves à intensos podem acontecer, além de causar muita dor ao cãozinho. Por isso, cheque a unha do animal ainda no pré-encontro e peça que o cliente apare, se necessário.

Atenção aos coxins do pet!

Os coxins (as famosas “almofadinhas” que ficam na sola da pata dos cães) podem parecer resistentes em uma primeira impressão, mas deve-se ter muito cuidado com eles.

Ao sair para passear com o hóspede, opte por períodos de clima mais ameno e locais com sombras e grama. Caso vá passear com o cachorro em uma região asfaltada, cheque se o asfalto não está quente demais, porque se o cachorro tiver contato com o chão em temperatura muito elevada, poderá ter queimaduras graves!

Para evitar que isso ocorra, aconselhamos que você coloque a palma da sua mão, ou sola dos pés (descalços!), por 10 segundos e veja se consegue suportar a temperatura. Caso você sinta o chão muito quente, orientamos que espere mais um pouco e tente novamente depois de algumas horas, repetindo o mesmo teste. Só saia com o cachorro se, após os 10 segundos, estiver suportável manter as mãos ou os pés em contato com o chão.

Cãezinhos que não estejam acostumados com muito passeio ou brincadeiras no quintal podem também lesionar os coxins caso corram muito! Nesse caso geralmente aparecem ralados ou lesões parecidas com assaduras na planta das patinhas e podem causar manqueira. Compressas frias com chá de camomila podem ajudar a aliviar o incômodo, mas se a dor persistir o hóspede precisa ser examinado por um veterinário.

Quando estiver passeando com o cachorro, ou caso tenha um quintal gramado, atenção também onde o cachorro estiver pisando pois ele pode se machucar com algum objeto cortante ou ser picado por insetos.
Deixe o cachorro ter acesso apenas a locais que você tem certeza que não há nenhum risco e, mesmo assim, fique sempre de olho!

Briga entre cães

Quando há uma briga entre cães, eles costumam atacar focinhos e pescoços, mas as patas também podem ser mordidas. Por isso, antes de aceitar a hospedagem, faça um pré-encontro, conheça o cão e só aceite hospedá-lo se interagir bem com os outros animais que estiverem no local.

Para evitar que brigas aconteçam, você pode acessar esse link, e aprender um pouco mais sobre a linguagem corporal dos cães, eles se comunicam conosco o tempo todo! Nós também temos um conteúdo focado em brigas: o que não fazer, e o que fazer caso a briga aconteça.

As patinhas dos cães também podem sofrer com inflamações e doenças não derivadas de machucados. Então, conheça um pouco mais sobre esses casos a seguir.

Pododermatite: o que é?

A pododermatite é uma inflamação que ocorre na pele das patas do animal. Ela costuma aparecer quando a pata do cachorro fica muuito tempo úmida, causando desconforto e dor.

A pododermatite pode surgir por alguns fatores:

1- cachorros que tem o costume de lamber a pata o tempo todo;
2- cachorros que são mantidos em ambientes úmidos/molhados por muito tempo;
3- dar banho no cachorro e não secar devidamente a região;
4- cachorros que tem o hábito de fazer xixi e pisar em cima depois;
5- raças que costumam ter dermatites no resto do corpo.

Para evitar isso, é importante que você mantenha a pata do hóspede sempre limpa e seca. Faça uso de um lenço umedecido, pano, sabão ou qualquer loção higienizante, sempre secando bem e com cuidado depois

A pododermatite é caracterizada por vermelhidão no local, inchaço, dor, perda de pelo, bolhas, manqueira e lambedura excessiva. Caso o hóspede apresente algum desses sintomas, avise o tutor e leve-o ao veterinário.

Doenças crônicas

Alguns cachorros podem ter maior propensão a doenças crônicas nas articulações das patas, uma dessas doenças é conhecida como artrose canina. As raças mais afetadas pela Artrose Canina são: bulldogues, dachshunds, bull terriers, bassets, por terem as patinhas mais envergadas que outros animais. Cachorros idosos e obesos também possuem tendência a terem artrose.
Identificar essa é doença é bem difícil, pois, uma vez estando com a pata machucada, os cães tendem a jogar o peso para todas as outras patas. Mas, em um estágio mais avançado, você pode identificar da seguinte maneira:

  • Inchaço em alguma articulação
  • O cachorro macho passa a urinar sentado;
  • O cachorrinho passar a se mexer de forma mais lenta que o habitual;
  • Relutância para passear;
  • Demonstrar irritabilidade ao ser tocado na região das articulações.

Ao hospedar cães que estão no grupo de risco, converse bas-tan-te com o tutor sobre a saúde do cão, peça histórico médico, analise idade, veja como o cachorro se move e interage com você. Se, no decorrer da hospedagem, o cachorro passar a apresentar um comportamento conforme o descrito acima, avise o tutor e leve-o a um veterinário de confiança.

Além do risco de artrose, alguns cães podem ter Displasia Coxofemoral, mais comum em cães de grande porte como Pastores Alemães, Goldens, Labradores e Rotweillers. A Displasia é uma má formação das articulações e é hereditária. Nós temos um conteúdo completo falando sobre isso em nosso blog e indicamos muito a leitura caso você hospede raças de porte maior. É só clicar nesse link para saber mais.

Independente da situação, é muito importante ter cuidado com a saúde do hóspede e prestar atenção aos pequenos sinais de dor e desconforto! Caso o cão apresente um comportamento diferente do habitual, comunique o tutor e procure auxílio veterinário.

Além disso, temos uma equipe de Confiança & Segurança à disposição para te ajudar! Conte conosco sempre que precisar.

8 comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*