A hóspede entrou no cio durante a hospedagem? O cachorro a-d-o-r-a marcar território onde não deve? Veja os prós e os contras de colocar fralda nos pets!

Ter cachorro é maravilhoso, mas todos sabemos que dá trabalho. Pensando em facilitar cada vez mais a vida de pais e mães de cachorro, o número de produtos voltados ao universo pet tem crescido muito nos últimos anos. Dois dos novos produtos oferecidos são a fraldinha descartável e calcinha higiênica, que trouxeram praticidade, mas exigem vários cuidados.

Afinal, para que eles servem?

Fralda descartável

A fralda para cachorros surgiu com o intuito de ajudar animais com alguma necessidade especial: cachorros idosos, pós-operados ou com incontinência urinária. Ela é indicada para cães machos e produzida com o mesmo material das fraldas de bebê.

No entanto, vemos que nos dias atuais o uso da fraldinha se expandiu, e hoje tem sido utilizada em diferentes situações como, por exemplo, em cachorros não castrados que fazem xixi fora do lugar para marcar território, ou quando o pet fica em um ambiente onde os móveis correm o risco de serem “batizados”.

As fraldas podem ser facilmente encontradas em lojas voltadas para produtos e serviços pet, e o valor varia entre R$ 30,00 e R$ 40,00 um pacote com 12 unidades. Para vestir o cachorro com ela é bem simples: basta envolvê-lo na cintura, garantindo que a fraldinha esteja cobrindo o pênis do pet, para não haver riscos de vazamento.

Quase todas as fraldas para cães servem apenas para a urina. Ao colocá-las, o rabo e o bumbum do cachorro ficam para fora. Então, acabam não sendo uma boa opção para cachorros que têm incontinência fecal.

Nossos veterinários orientam que a fraldinha seja trocada de 2 a 3x por dia, sempre acompanhada de uma limpeza na região com lenços umedecidos ou utilizando soro fisiológico em um algodão ou gaze. É imprescindível o cão ficar sem a fralda por alguns minutos a cada troca para arejar a pele e secar bem após a limpeza.

Calcinha higiênica

A calcinha é indicada para fêmeas que estão no cio ou que, assim como no caso da fraldinha descartável, tenham alguma necessidade especial. Com ela, não há preocupação: a cachorra pode andar livremente pela casa, subir nos móveis sem riscos de sujar com o sangue. A calcinha possui duas versões: a descartável e a lavável. A descartável pode ser encontrada entre R$15,00 e R$30,00 em lojas especializadas, enquanto a calcinha lavável custa entre R$20,00 e R$35,00.

Vestir a cachorra com ela é bem prático, mas é importante tomar cuidado para que o rabo não fique preso. A calcinha pode ser trocada 1x ao dia, porque o fluxo das cachorras costuma ser fraco, desde que o tutor tire-a para a cadela fazer as necessidades. Mas é importante checar com frequência principalmente porque o hóspede pode acabar fazendo xixi nessa calcinha e, caso haja a necessidade, aumentar a rotina da troca. Ao retirar a calcinha higiênica, lembre-se de também higienizar a região com lenços umedecidos ou utilizando soro fisiológico ou ainda fazendo uma  limpeza com um xampú neutro e água morna. A mesma regra da fraldinha vale: é preciso alguns minutos para deixar a pele arejar entre as trocas. Além disso o ideal é que durante os passeios ela seja removida para a cadelinha conseguir urinar sem incômodos.

Mas, afinal, em quais momentos a fraldinha e a calcinha são indicadas na hospedagem? Quando houver a real necessidade, ou quando for uma recomendação do tutor.

Animais saudáveis não devem ser privados de urinar livremente

Cachorros não castrados marcam território; cadelas entram no cio; e o Anfitrião é o responsável por colher todas as informações necessárias antes de aceitar a hospedagem. E, a partir daí decidir se poderá, ou não, cuidar do pet de acordo com as necessidades dele.

Na hospedagem domiciliar, o Anfitrião deve seguir exatamente a mesma rotina que o animal tem, como se estivesse em sua própria casa, e não deve, em hipótese alguma, acostumar o pet a algo que não faz parte do dia-a-dia dele. O resultado disso pode ser o animal acostumar a usar fralda e começar a segurar o xixi quando estiver sem, por exemplo. E isso, para o tutor, virará um problema gigantesco.

Pontos positivos no uso da fralda higiênica (ou calcinha)

Praticidade

O uso da fralda/calcinha traz maior segurança e praticidade para o tutor e o pet. Animais com algum tipo de incontinência ficam sequinhos e portanto mais confortáveis. Assim como fêmeas no cio, impedindo que sujem o ambiente, sua pele e seus pelos durante o período. Dessa forma, os pais não precisam ficar com o esfregão na mão o tempo todo limpando o ambiente ou tendo que lidar com odores desagradáveis.

Adaptação fácil

Esses produtos são facilmente aceitos pelos animais. Quando bem colocadas e trocadas no período correto (recomenda-se que hajam de 2 a 3 trocas de fralda por dia, e que a calcinha seja trocada diariamente, ou sempre que a mesma estiver muito sujinha), não atrapalham ou incomodam. Poucos são os casos em que o cachorro deixa de fazer xixi pela não-aceitação do material.

Custo x Benefício

As fraldinhas descartáveis e calcinhas não são tão caras quando colocamos na balança a facilidade que elas trazem, principalmente para animais que precisam de cuidados especiais. Ainda assim, existem outras opções no mercado, como o tapetinho higiênico. As fraldas e calcinhas custam um pouco mais caro e podem acabar mais rápido, uma vez que deve haver troca constante, mas também trazem mais praticidade para os tutores.  

Algumas pessoas customizam fraldas de bebê para que se adaptem ao animal, fazendo inclusive um furo na fralda para passar o rabo do cachorro. Mas não recomendam essa prática e orientamos que, caso necessário, sejam utilizados os materiais específicos para pets.

Pontos negativos

Risco de alergias, infecções e assaduras

Vestir o pet de maneira incorreta, deixar a região muito úmida ou não trocar a fraldinha ou a calcinha na frequência necessária pode fazer com que o cão desenvolva alguma complicação. O uso incorreto pode acarretar em dermatites, infecções e coceira no animal.

Mau cheiro

O cachorro pode ficar fedido se não houver a higienização correta e necessária. Como a fraldinha e a calcinha abafam a região e mantém a pele e os pelos em contato direto com o xixi, o cachorro fica mais sujo que o normal e, consequentemente, com um cheirinho que não é nem um pouco agradável.  

Fralda é para os que precisam!

Fazer com que um pet saudável use a fraldinha frequentemente pode trazer transtornos desnecessários, como insegurança de fazer xixi sem ela, por exemplo. Além disso, eles podem ficar agitados, arrancar a fralda do corpo, fazer sujeira e acabar ingerindo um material nocivo à saúde.

Como dito, o uso da fraldinha e da calcinha se expandiu e hoje não são apenas utilizadas quando o animal realmente precisa, e sim para facilitar a rotina do tutor, seja pela falta de tempo em passear, ou para que não tenha que ficar limpando sujeira várias vezes ao dia. Independente do motivo, é importante pedir autorização antes de incluir isso na rotina do hóspede.

Assim como para humanos, a fralda é recomendada para um grupo específico. Dificilmente você verá um humano de fralda, a não ser que ele seja bebê, tenha incontinência urinária ou fecal ou algum tipo de deficiência. Com os animais, vale a mesma regra.

Uso de fraldas durante as hospedagens

O Anfitrião quando se dispõe a receber um hóspede em casa, sabe que passará ótimos momentos, em boa companhia e que a diversão é garantida! Mas está incumbido também da tarefa de limpar xixi e cocô, pois isso é natural do animal. Não recomendamos utilizar a fraldinha ou a calcinha para não ter que lidar com isso.

Assim como qualquer outra particularidade da hospedagem (rotina de passeio, alimentação, petiscos, contato com outros animais), o uso da fralda pode ser mantido se:

 

  1. O hóspede já faz uso de fralda na própria casa dele, independentemente do motivo;
  2. O tutor for informado sobre o uso e concordar com ele.

 

Fazer um cachorro que não precisa ou que não tem o costume de usar fraldas/calcinha tira ele da rotina, além de criar um novo hábito. Isso, lá na frente para o tutor pode se tornar um problema, e consequentemente para o Anfitrião, que correrá o risco de receber uma avaliação negativa.

É importante conversar com o tutor antes e pedir autorização para colocar a fralda no animal. Caso o pet já faça uso, lembre-se que é de responsabilidade do tutor deixar quantidade suficiente para todo o período de hospedagem. Assim como mencionamos anteriormente, ao vestir o pet, cuidados especiais são necessários para que não coloque sua saúde em risco.

Os tutores devem encontrar nos Anfitriões a segurança para deixar seus filhinhos de 4 patas quando necessário, e os cães, o conforto de passar dias felizes como se estivessem na própria casa. Carinho, conforto, cuidado e diversão para todos os envolvidos é o que não devem faltar!

Fonte: Rafael Otero, estudante de veterinária, Clara Aguilar e Ingrid Stein – veterinárias formadas. Todos fazem parte da equipe DogHero.

Total
1
Shares

6 comments

  1. Acredito ser uma medida para não se ter trabalho. Principalmente no cio. Prefiro fazer meus passeios de 4h em 4h , que me reduzem esse problema de marcação de territorio. Mas, pra quem recebe mais de um pet, talvez seja uma boa.

  2. Não sou a favor.Se nao é agradavel para humano imagino para o animal.A natureza dos animais deve ser respeitada.Um pouco mais de trabalho nao faz mal para ninguém.

  3. Tenho uma idozinha de 17 anos,
    as vezes qdo ela fica muito confusa coloco a fraldinha, normalmente durante a noite, mais mesmo assim prefiro levantar e levar no tapete higiênico. Não sou muito a favor das fraldas

  4. Achei muito importante os assuntos relacionados ao pelo longo, pois acho cruel deixar o pelo do caozinho ficar todo embolado.Eles merecem nosso amor e cuidados.

    Marcia

  5. Estou para receber uma hóspede que usa fraldas porque sofre de incontinência urinária e achei muito enriquecedora esta matéria. Também concordo que é um acessório que só deve ser utilizado nesses casos.

    Parabéns pelo tema!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*